Saudade e a iminência de partir em ‘A Cidade Onde Envelheço’

Saudade e a iminência de partir em ‘A Cidade Onde Envelheço’

Tags:

Quando dirigiu seu segundo filme, em 2008, Marília Rocha já flertava com a incerteza do pertencer, essa arritmia causada pela iminência da partida. Acácio conta a história verídica de um casal português que deixou o país de origem para encontrar novas oportunidades de vida em Angola, vindo morar no Brasil após 30 anos de estadia na colônia lusa, às vésperas de sua independência. Num segmento da película, Marília narra: “Acácio e Conceição nos receberam em uma casa povoada de bibelôs portugueses e peças africanas. Ela trazia ecos do passado, e indicava que o Brasil era para eles um lugar sem raízes, de onde planejavam um dia retornar à terra natal.”

(mais…)

Brasileiro não vê cinema alternativo brasileiro porque não se vê nele

Brasileiro não vê cinema alternativo brasileiro porque não se vê nele


Adoro filmes brasileiros. Já foi tempo em que eu cruzava a cidade pra assistir filme brasileiro. Detalhe no cruzar a cidade. É literalmente cruzá-la.

É que moro na zona norte e os cinemas cult do Rio estão na zona sul, eixo rico da cidade. Filme brasileiro não-comercial, simplesmente por sê-lo, entra no bolo “cult”.

E olha que nem moro em bairro periférico. Apesar de levar uma hora pra chegar no cinema, pegava apenas um ônibus. Tem quem leve a duração de um filme pra chegar no cinema.

Ah, e outra: você faz o quê às 14h? Trabalha, né. Sabe que horas passa o filme brasileiro? Adivinha.

(mais…)

Por que precisamos falar sobre assédio?

Por que precisamos falar sobre assédio?


“Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo”. Susllem Meneguzzi Tonani, 28 anos, figurinista na Rede Globo, assediada no trabalho por José Mayer, 67 anos, ator renomado.

(mais…)

Crítica: Carpe Aeternitatem, de Bruno Decc

Crítica: Carpe Aeternitatem, de Bruno Decc


O curta-metragem Carpe Aeternitatem, produção do diretor Bruno Decc, impressionou-me muito. O primeiro que havia assistido foi A Toca dos Dois Signos: Epílogo, que mostra a história da humanidade por um outro viés, algo bem interessante.

Em Carpe Aeternitatem, também um filme experimental, é uma ficção científica que apresenta em sua história situações que permeiam a decisão de um homem que vive num futuro longínquo, entre perecer ou experenciar um ideal de imortalidade por meio da tecnologia, a qual tenta convencer o ser amado a juntar-se a ele nessa empreitada.

(mais…)

Pin It on Pinterest