“São Paulo [agora] tem um órgão para agilizar produções audiovisuais (séries, programas de TV, videoclipes, publicidade, longas e curtas-metragens) que pretendam utilizar a cidade como cenário”, informou a Prefeitura de São Paulo em sua página oficial do Facebook. Este órgão é o São Paulo Film Commission, através do qual se pretende centralizar a gestão, desburocratizar, agilizar processos e estimular o mercado de produções audiovisuais na capital paulistana.

Em entrevista coletivao prefeito Fernando Haddad (PT) explicou que a criação do órgão foi uma maneira de solucionar as constantes reclamações feitas por profissionais do setor. O decreto integra uma política de estímulo à produção audiovisual na cidade. “Nós estamos fechando um ciclo importante hoje com as novas salas de exibição e com a film commision, organizadas pela Spcine. As grandes cidades do mundo têm uma comissão para dar suporte para a indústria do audiovisual”, disse.

O incentivo à produção audiovisual também é uma forma de valorizar a imagem da cidade no âmbito nacional e internacional, como ressaltou o secretário de Cultura, Nabil Bonduki. “Vamos ter o reconhecimento da imagem de São Paulo fora da cidade, isso divulga a cidade e também aumenta a autoestima da população. É importante ver o seu cenário cotidiano presente nos filmes, pelo reconhecimento, pela identidade e pela memória”, disse.

Como vai funcionar

A São Paulo Film Commission irá assumir o processo operacional de liberação de espaços públicos, como ruas e parques, para filmagens. Atualmente, os profissionais precisavam passar por até dez diferentes guichês para conseguirem autorização oficial e só depois começarem a realizar seus projetos, sejam eles filmes, séries ou anúncio de TV.

Os profissionais autônomos, agências e produtoras interessadas em adquirir as autorizações diretamente com a comissão devem preencher uma solicitação através da internet (o site será divulgado em breve). Após o cadastro, o órgão terá o prazo de uma semana para emitir a autorização. No caso de programas publicitários, este tempo é reduzido para até dois dias úteis.

São Paulo Film ComissionA partir de hoje, São Paulo tem um órgão para agilizar produções audiovisuais [séries, programas de TV, videoclipes, publicidade, longas e curtas-metragens] que pretendam utilizar a cidade como cenário. A São Paulo Film Comission é uma das iniciativas da Spcine, agência de fomento à produção audiovisual.As filmagens movimentam a economia das cidades e geram empregos em diversos setores. Em Nova York por exemplo, que é dona da principal film commission do mundo, o impacto das produções gira em torno de 8,7 bilhões de dólares anuais, empregando mais de 100 mil pessoas.Saiba como vai funcionar a film comission: http://bit.ly/1qjI6K4

Publicado por Prefeitura de São Paulo em Quarta, 30 de março de 2016

Durante a fase de testes, entre agosto de 2015 e fevereiro de 2016, o departamento atendeu a 58 produções, entre séries, programas de TV, videoclipes, publicidade, longas e curtas-metragens. “Estou muito feliz como produtora e cineasta por duas razões: porque a gente agora pode saber que São Paulo é uma cidade audiovisual”, destacou a cineasta paulistana Tatá Amaral, que realizou praticamente todos os seus filmes na cidade, entre eles Antônia: O Filme.

De acordo com informações da Prefeitura de São Paulo, a produção de um longa internacional movimenta US$ 250 mil por dia; e um comercial aproximadamente R$ 1 milhão por semana. A título de comparação, Nova York, cidade com maior volume de produções no mundo e dona da mais importante film commission, o setor audiovisual movimenta cerca de US$ 8,7 bilhões por ano e mantém mais de 100 mil pessoas empregadas.

Profissionais conectados

Além do incentivo a produções, a comissão também irá estimular a geração de empregos e conectar profissionais. Será criado um catálogo da produção audiovisual paulistana, disponibilizando informações sobre modalidades de produção mais realizadas na cidade, locações mais procuradas, o perfil dos cineastas, entre outros.

Todas as informações estarão disponíveis no aplicativo da São Paulo Film Commission, que também funcionará como uma rede de contatos profissionais. Por meio da Spcine, empresa estatal paulistana de cinema e audiovisual, os prestadores poderão oferecer serviço para as produções. Os profissionais poderão obter o Selo Spcine e se identificar como parceiros das empresas no próprio app.

Coletiva de imprensa para divulgação da São Paulo Film Commission. Foto: Fábio Arantes/SECOM
Coletiva de imprensa para divulgação da São Paulo Film Commission. Foto: Fábio Arantes/SECOM

O registro poderá ser feito em três tipos de categoria: Eu Sou Cenário, para disponibilizar espaços para filmagens; Amigo do Cinema, no qual o serviço ou comércio oferece desconto nos preços para produções audiovisuais; e São Paulo é Cenário, que lista os prédios públicos que têm prévia disponibilidade para ser uma locação de filmagem.

No aplicativo da comissão, o produtor audiovisual também terá acesso a um manual de como deve proceder para filmar em São Paulo. Ele terá acesso ao cadastro único para obtenção de autorizações da comissão, ao banco de dados de serviços e mão de obra especializada e também poderá se cadastrar para receber atualizações das locações ofertadas pela cidade.