‘Carlota Joaquina’ e mais de 50 filmes brasileiros em sessões a R$ 4

‘Carlota Joaquina’ e mais de 50 filmes brasileiros em sessões a R$ 4


Nesta terça-feira (12), o Cinemark promove pelo vigésimo ano consecutivo o Projeta Brasil, um dia inteiramente dedicado à exibição de filmes nacionais a preço popular. Entre os destaques deste ano está a exibição, em versão digitalizada, de Carlota Joaquina: Princesa do Brasil, de Carla Camurati, filme marco da Retomada do cinema brasileiro lançado em 1995.

Estrelado por Marieta Severo e Marco Nanini, o filme ultrapassou a marca de 1,2 milhões de espectadores em seu lançamento. A história satiriza a história da família real portuguesa e a chegada ao Brasil no século 18. O estrangeiro narrador revela que o Brasil teve uma rainha, Carlota Joaquina, espanhola que se casou cedo com D. João VI, rei de Portugal, Brasil e Algarves, por quem cultivava uma extrema repulsa.

Com ingressos a R$ 4 (valor único), o Projeta Brasil apresenta mais de 50 filmes brasileiros de variados gêneros. A programação traz desde produções recentes que circularam por festivais, como Bacurau e O Grande Circo Místico, até franquias como De Pernas Pro Ar 3, além de versões digitalizadas de Se Eu Fosse Você (2006) e Divã (2009).

O programa já levou 2,7 milhões de espectadores aos cinemas e exibiu 505 filmes nacionais. A renda arrecadada com as exibições, assim como anos anteriores, será revertida para projetos de incentivo à produção cinematográfica nacional. “Essa é uma forma que a Cinemark encontrou, nesses 20 anos, de apoiar e valorizar o cinema brasileiro.”, explica Bettina Boklis, diretora de marketing da rede.

Nova geração

O Projeta Brasil Cinemark apresenta em 2019 uma novidade para o público infanto-juvenil. A rede montou uma programação especial para os pequenos e os jovens na manhã do sábado seguinte ao do evento, 16 de novembro. Como uma iniciativa de formação de público para os filmes nacionais, a programação exibe os títulos “Detetives do Prédio Azul 2”, “Turma da Mônica – Laços” e “Cinderela Pop”. Os ingressos para as sessões também custam R$ 4.

A programação completa pode ser conferida no site. Os ingressos podem ser adquiridos no site, no app do Cinemark e nas bilheterias dos cinemas. Confira abaixo a lista completa dos filmes selecionados:

Clássicos

Carlota Joaquina

Se eu Fosse Você 1

Minha Mãe é uma Peça 1

Divã

Nosso Lar

Filmes do circuito 2018 – 2019

A História de Um Sonho – Todas as Casas do Timão

A Mata Negra

A Mulher do Meu Marido

A Pedra da Serpente

A Quarta Parede

Alaska

Alma Imoral

Bacurau

Chorar de Rir

Cine Holliudy 2: A Chibata Sideral

De Pernas Pro Ar 3

Diários de Classe

Divaldo – O Mensageiro da Paz

Eu sou brasileiro

Eu Sou Mais Eu

Exterminadores do Além: Contra a Loira do Banheiro

Histórias Estranhas

Intimidade Entre Estranhos

Kardec

Marés

Minha Fama de Mau

Minha Vida em Marte

Mussum, Um Filme do Cacildis

Nada a Perder 2

O Amor Dá Trabalho

O Fantástico Patinho Feio

O Filho do Homem

O Galã

O Grande Circo Místico

O Segredo de Davi

Onde a Moeda Cai em Pé – A História do SPFC

Paisagem: Um olhar sobre Roberto Burle Marx

Sai de Baixo – O Filme

Santos de Todos os Gols

Simonal

Socorro! Virei Uma Garota

Tito e Os Pássaros

Ultraje

Vai Que Cola – O Começo

Hebe – A Estrela do Brasil

Ela Disse, Ele Disse

Morto Não Fala

Maria do Caritó

Rasga Coração

Projeta Brasil Nova Geração (16 de novembro)

Cinderela Pop

Detetives do Prédio Azul: O Mistério Italiano

Turma da Mônica – Laços

Janela de Cinema 2019: guia para os filmes brasileiros da programação

Janela de Cinema 2019: guia para os filmes brasileiros da programação


O Janela Internacional de Cinema do Recife 2019, que acontece entre os dias 6 e 10 de novembro, assume a missão de dissipar a escuridão com a luz que nos desperta para novos mundos e olhares através das telas. A décima segunda edição do festival supera percalços, reagindo com o apoio da coletividade aos ataques políticos e ideológicos que buscam inviabilizar a existência de iniciativas de arte e cultura no Brasil.

Encontrando como alternativa uma campanha de financiamento coletivo, o festival abraçou a tarefa de acontecer de qualquer forma, mesmo que em versão enxuta e com orçamento mínimo. Entretanto, poucos dias antes de ser anunciada a programação completa, três boas surpresas transformaram os rumos da história: o patrocínio da Prefeitura do Recife, a concessão de recursos do Fundo Setorial do Audiovisual e mais de 270 apoios que atingiram a meta no crowdfunding.

A edição deste ano ganha mais força e, como escreve a equipe em uma carta aberta, reforça a importância de estar junto. A arte do cartaz, assinada por Clara Moreira, enfatiza o sentimento coletivo ao destacar o Art. 215 da Constituição: “o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais”. Em destaque, o Janela traz sessões comentadas, exibições de clássicos, trilha sonora ao vivo e debates em diversos programas.

Agora vamos, enfim, ao objetivo central desta matéria: montar um guia para não perder nenhum filme brasileiro da programação do Janela de Cinema 2019! Contabilizando produções e coproduções, entre curtas e longas-metragens, 27 títulos serão exibidos em cinco dias de festival. Para nossas leitoras e leitores, o Assiste Brasil organizou as exibições por data, local e horário, para garantir que nada fique de fora.

As salas dos cinemas São Luiz, Fundação/Derby, UFPE e do Porto Digital recebem a programação do Janela de Cinema 2019. O preço dos ingressos varia de acordo com o local: no São Luiz, R$ 5 (longas) e R$ 3 (curtas); no Cinema da Fundação/Derby, R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada); e no Porto Mídia e UFPE, R$ 5 (preço único). É possível adquirir os ingressos para as sessões no São Luiz e no Porto Digital antecipadamente pelo site

Dia 06/10, quarta-feira:  Curtas + Trilha sonora ao vivo + O Farol

[Cinema São Luiz]

  • 17h15: especial Programa Farol Aceso com exibição, seguida de debate com as/os realizadores, de cinco curtas-metragens brasileiros: 

_ Cinema Contemporâneo, de Felipe André Silva (PE, 2019, 5’)

_ Caranguejo Rei, de Enock Carvalho e Matheus Farias (PE, 2019, 23’)

_ Tempestade, de Fellipe Fernandes (PE, 2018, 20’)

_ A Mulher que Sou, de Nathália Tereza (PR, 2019, 15’)

_ Swinguerra, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (PE, 2019, 23’)

  • 19h30: primeira exibição no Brasil do média-metragem Jogos Dirigidos, do alagoano Jonathas de Andrade, com trilha sonora ao vivo. No filme, pessoas da comunidade de surdos e mudos do povoado de Várzea Queimada (PI) participam de jogos ao ar livre e narram suas histórias utilizando uma linguagem de signos criada por eles próprios. 
  • 21h: sessão de abertura com O Farol (The Lighthouse), de Robert Eggers. O filme tem coprodução brasileira da RT Features, assinada por Rodrigo Teixeira (A Vida Invisível, A Bruxa). A história revela os estranhos fenômenos que acontecem em um farol após o guardião do local contratar um jovem ajudante. Estrelado por Willem Dafoe e Robert Pattinson, foi vencedor do Prêmio da Crítica da Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes.

Dia 07/10, quinta-feira: Curtas + Casa + Bacurau com comentários

[Cinema São Luiz]

  • 15h40: competitiva de curtas no Programa Criar as Leis com sessão seguida de debate. Serão exibidos três títulos:

_ Quebramar, de Cris Lyra (SP, 2019, 27’)

_ Para Todas as Moças (For All The Ladies), de Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’)

_ Sete Anos em Maio (Seven Years in May), de Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′)

[Cinema do Porto Digital]

  • 17h: sessão de Bacurau comentada pelos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles.

[Cinema São Luiz]

  • 19h30: sessão especial do longa-metragem Casa, de Letícia Simões, seguida por debate. O documentário é um relato sobre o retorno de uma filha à sua cidade natal e a reaproximação com sua mãe diagnosticada com transtorno bipolar. 

Dia 08/10, sexta-feira: Internacional + Curtas + Divino Amor com comentários

[Cinema São Luiz]

  • 14h: entre os selecionados (lista abaixo) para o Programa Avistados por Vagalumes está a coprodução Brasil/Canadá/EUA Rise, dirigida por Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. Os realizadores estão também com o curta Swinguerra, no Programa Farol Aceso.

_ Past Perfect, de Jorge Jácome (Portugal, 2019, 23’)

_ Traveling Shoes (Sapatos de Viagem), de Kevin Jerome Anderson (EUA, 2019, 7’)

_ Rise, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20’)

_ Vever (For Barbara)/Vever (Para Barbara), de Deborah Stratman (Guatemala/EUA, 2019, 12’)

_ Parsi, de Eduardo “Teddy” Williams e Mariano Blatt (Guiné Bissau/Argentina/Suíça, 2018, 23’)

  • 16h: competitiva de curtas brasileiros no Programa Mudar de Rota, com debate. Quatro títulos integram a exibição:

_ Thynia, de Lia Letícia (PE, 2019, 15′)

_ Teoria Sobre Um Planeta Estranho (Strange Planet Theory), de Marco Antônio Pereira (MG, 2019, 15’)

_ Looping, de Maick Hannder (MG, 2019, 12’)

_ Peixe, de Yasmin Guimarães (MG, 2019, 17’)

[Cinema do Porto Digital]

  • 17h: sessão comentada de Divino Amor comentada por Gabriel Mascaro.

Dia 09/10, sábado: Indianara + SuperOutro + A Febre + Curtas

[Cinema São Luiz]

  • 14h: exibição especial de Indianara, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa. O documentário acompanha a trajetória política e social da ativista transexual Indianara Siqueira na luta pelos direitos de pessoas LGBTI+. Exibido na mostra paralela ACID, no Festival de Cannes. O curta Rosário, de Juliana Soares e Igor Travassos (PE), abre a sessão (seguida de debate). 
  • 18h50: exibição em 35mm do clássico brasileiro SuperOutro (1989), de Edgard Navarro, seguida de debate com a presença do realizador. O super-herói do filme é uma pessoa louca, em situação de rua, que vive em Salvador. De todas as maneiras, ele tenta libertar a si mesmo da miséria e realizar seu grande sonho: voar sobre as ruas da cidade. A Cristalização de Brasília, de Guerreiro do Divino Amor (RJ/DF), é o curta de abertura. 
  • 20h30: na competitiva de longas, A Febre (The Fever), de Maya Da-Rin, coprodução Brasil/França/Alemanha. Ambientada em Manaus, a ficção conta a história de Justino, um indígena Desana de 45 anos, viúvo e que trabalha como vigia no porto de cargas. Sua rotina é quebrada pelo aparecimento de uma criatura misteriosa, a chegada de um novo vigia, a visita de seu irmão e as lembranças de seu passado na aldeia. 

Dia 10/10, domingo: Passagens + Um Filme de Verão + Abismo Tropical

[Cinema São Luiz]

  • 11h: Passagens não é uma produção brasileira, mas volta seu olhar para o cinema brasileiro e por isso integra nosso guia. Codirigido por Lúcia Nagib, professora da Universidade de Reading, no Reino Unido, e por Samuel Paiva, da Universidade Federal de São Carlos, o documentário mostra uma seleção de filmes brasileiros em que a utilização de expressões artísticas constitui uma passagem para as realidades social e política. Apresenta entrevistas com importantes profissionais do cinema, como Kleber Mendonça Filho, Adelina Pontual, João Vieira Júnior e Tata Amaral.

[Cinema da Fundação/Derby]

  • 14h: programa convidado Brasil Distópico Vol. 2 com O Jardim das Espumas (1970), de Luiz Rosemberg Filho. Por trinta anos foi considerado um filme perdido, até a descoberta de uma cópia na França, em 2014. A história é ambientada em um planeta pobre, dominado pela irracionalidade e opressão. O sequestro de um emissário dos planetas ricos colocará toda a verdade em cheque. Rosemberg Filho, falecido este ano, tem como uma das marcas mais fortes de sua produção as questões políticas. Sessão reprise.
  • 16h: na competitiva de longas, o documentário Um Filme de Verão (Sun Inside), de Jô Serfaty. Quatro adolescentes no verão carioca buscam saídas inventivas para escapar de uma cidade em crise. Menção honrosa no DocLisboa e Prêmio Helena Ignez na Mostra de Tiradentes. O curta de abertura é Ilhas de Calor, de Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’), também em competição. Sessão reprise.

[Cinema São Luiz]

  • 18h30: exibição especial de Abismo Tropical (Tropical Abyss), do pernambucano Paulo Caldas. O documentário retrata a angústia do diretor/narrador no dia das eleições presidenciais no Brasil em 2018. Sessão seguida de debate. 

A programação completa, com títulos internacionais, atividades e reprises, está disponível no site do Janela Internacional de Cinema do Recife.

// Atualização feita no dia 8 de novembro, às 9h50, devido a alterações de horário na programação oficial \\

Animação brasileira está “potencialmente qualificada” para o Oscar 2020

Animação brasileira está “potencialmente qualificada” para o Oscar 2020


O site especializado Cartoon Brew divulgou na última sexta-feira (18) uma lista de curtas-metragens de animação que considera potencialmente qualificados para o Oscar 2020. De acordo com a matéria, foram submetidos para seleção inicial na categoria de Melhor Curta de Animação 93 filmes, dentre eles “Guaxuma”, de Nara Normande, coprodução Brasil-França.  

Embora a lista oficial com os títulos não seja divulgada, o site reuniu informações disponíveis publicamente e enviadas por parte dos realizadores para fazer a compilação. Antes mesmo de passar pela avaliação do júri, o curta precisa ter sido premiado em festivais considerados Oscar Qualifying. Dentre os mais de 50 prêmios conquistados por “Guaxuma”, cinco deles atendem ao requisito do Oscar 2020: SXSW, Cinequest, Guadalajara, Hamptons e New Orleans Film Festival.

Em “Guaxuma”, a diretora Nara Normande narra suas memórias da infância e adolescência ao lado de sua melhor amiga, Tayra, na praia de Guaxuma, em Alagoas. O curta de 14 minutos foi realizado com três técnicas de animação: desenhos 2D em areia, esculturas em areia e stop motion de bonecos em tamanho ampliado. No Brasil, o filme passou por diversos festivais em 2018, dentre eles o de Brasília, Gramado e no Anima Mundi.

Os indicados ao Oscar 2020 serão revelados no dia 13 de janeiro. O Brasil disputa uma indicação também na categoria de Melhor Filme Estrangeiro com “A vida invisível”, dirigido por Karim Aïnouz e produzido por Rodrigo Teixeira. A cerimônia será realizada em 9 de fevereiro.

Bombozila: a plataforma gratuita de documentários sociopolíticos

Bombozila: a plataforma gratuita de documentários sociopolíticos


“Uma plataforma de documentários que contam a história sociopolítica dos últimos anos”. Assim se apresenta a Bombozila, criada para ser uma janela de exibição por streaming de documentários independentes que retratam questões relacionadas a lutas sociais e resistência. O catálogo conta com mais de 400 filmes de diversos países, com destaque para a América Latina, disponíveis para assistir online e gratuitamente.  

(mais…)
Recifest, festival LGBTI+, divulga filmes selecionados para edição 2019

Recifest, festival LGBTI+, divulga filmes selecionados para edição 2019


O Recifest – Festival de Cinema de Diversidade Sexual e de Gênero, um dos mais relevantes festivais com a temática LGBTI+ do País, anunciou nesta terça-feira (15) os filmes que integram a mostra competitiva da edição 2019. Dos 159 inscritos, de 16 estados, foram selecionados 22 filmes, de oito estados. A sétima edição do Recifest acontece entre os dias 20 e 22 de novembro, no Cinema São Luiz, em Recife (PE).

O festival ocorre, anualmente, desde 2013, no Recife e em cidades do interior de Pernambuco. Este ano, devido à falta de patrocínios de editais, em consequência dos cortes federais à Cultura, o Recifest será realizado em versão reduzida e com uma equipe voluntária.

Para ajudar a custear as atividades, será cobrado o valor simbólico de R$ 3 por ingresso. A organização estimula hospedagens solidárias para receber realizadores e participantes. “Diante da escalada do conservadorismo e anti-intelectualismo, da crescente homofobia, transfobia e racismo, e além da volta da censura, achamos que é de fundamental importância realizarmos o 7º Recifest, neste ano”, explicam Carla Francine e Rosinha Assis, produtoras do evento.

Além das competitivas, a programação traz uma mostra não competitiva de longas e curtas-metragens, performances, moda, rodas de diálogos e atividades formativas. A realização é das produtoras Olinda Produções, Casa de Cinema de Olinda e Taxi Cultural.

Mostra Competitiva Recifest 2019

Piu Piu, de Alexandre Figueirôa, é um curtas em competição no Recifest 2019. Imagem: Divulgação

As mostras competitivas de curtas têm curadoria de André Antônio e Anti Ribeiro. Os selecionados concorrem numa das seguintes categorias: “Produção Pernambucana”, para filmes realizados dentro do Estado, com empresa produtora e diretores locais, e “Produção Nacional”, para filmes realizados em todo o território brasileiro, incluindo Pernambuco. Confira a lista dos selecionados:

Programação Cinema São Luiz – Recife
(Rua da Aurora, 175 – Boa Vista – Recife – PE)

20/11 – Quarta-feira
19h – Mostras Competitivas de Curtas-metragens

Sessão: Inundar o mundo
Mar Fechado – Dir. Aurora Jamelo (PE) – 4′
Pattaki – Dir. Everlane Moraes (SE) – 20′
Preciso dizer que te amo – Dir. Ariel Nobre (SP) – 13′
Colômbia – Dir. Manuela Andrade (PE) – 16′
A felicidade delas – Dir. Carol Rodrigues (SP) – 14′

Sessão: Pense, dance
Banzo – Dir. Rafael Nascimento (PE) – 6′
Juca – Dir. Maurício Chades (DF) – 28′
Ilhas de Calor – Dir. Ulisses Arthur (AL) – 20′
NEGRUM3 – Dir. Diego Paulino (SP) – 20′

21/11 – Quinta-feira
19h – Mostra Competitiva de Curtas-metragens

Sessão: Minha cidade é outra
Santos Imigrantes – Dir. Thiago Costa (SP) – 7´
Vinde como estás – Dir. Rafael Ribeiro e Galba Gogóia (RJ) – 15′
Piu piu – Dir. Alexandre Figueiroa (PE) – 16′
Minha história é outra – Dir. Mariana Campos (RJ) – 20′
Balizando 2 de julho – Dir. Fabíola Aquino e Márcio Lima (BA) – 25′

Sessão: Gosto de Sangue
O Verbo Se Fez Carne – Dir. Ziel Karapotó (PE) – 7′
O Mistério da Carne- Dir. Rafaela Camelo (DF) – 18′
Cinema Contemporâneo – Dir. Felipe André Silva (PE) – 5′
A Carne é Beijo e o Avesso Água – Dir. Clarissa Ribeiro (RJ) – 5′
Gordox – Dir. Ivson Santo (PE) – 20′
Colidiremos – Dir. George Pedrosa (MA) – 12′
Barriga de imagens – Dir. Maria Bogado (RJ) – 15′

Com informações do Cultura.PE.

Os filmes brasileiros que estão na Mostra de São Paulo 2019

Os filmes brasileiros que estão na Mostra de São Paulo 2019


Entre os dias 17 e 30 de outubro, os mais de 300 títulos selecionados para a 43ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo ocupam as salas de exibição, espaços culturais e locais públicos da capital paulista. Na programação, destacam-se 65 produções e coproduções brasileiras, entre longas e curtas-metragens, clássicos e contemporâneos.

Os filmes integram as seções de Apresentação e Programas Especiais, Competição Novos Diretores, Realidade Virtual e Mostra Brasil. Um dos destaques brasileiros da Mostra de São Paulo 2019 é “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, vencedor do prêmio máximo da mostra Um Certo Olhar dos Festival de Cannes 2019.

Além do novo longa de Aïnouz, outros oito filmes brasileiros têm exibições especiais. São eles: “Amazônia Sociedade Anônima”, de Estêvão Ciavatta; “As Protagonistas”, de Tatá Amaral; “Desarquivando Alice Gonzaga”, de Betse de Paula; “Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz; “O Invasor”, de Beto Brant; “Tuã Ingugu (Olhos D’água)”, de Daniela Thomas; “Turma da Mônica: Laços”, de Daniel Rezende e “Madame Satã”, primeiro longa de Karim Aïnouz.

Mostra de São Paulo 2019 promove exibição especial de “Madame Satã” (2002), primeiro longa de Karim Aïnouz. Imagem: Divulgação

História, memória e experiência

Na vão-livre do Masp, acontecem as projeções de dois filmes brasileiros que passaram pela Mostra em edições anteriores: “Slam: Voz de Levante”, de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D`Alva, e “Todas as Canções de Amor”, de Joana Mariani. A seção exibe também “Macaco Feio… Macaco Bonito” e “Frivolitá”, curtas-metragens realizados nos primórdios do cinema de animação nacional, com trilha sonora ao vivo.

O cineasta Luiz Rosemberg Filho (1943 – 2019) recebe uma homenagem da Mostra de São Paulo 2019 em forma de retrospectiva, com três obras selecionadas: “O Jardim das Espumas”, “Crônica de um Industrial” e “Bobo da Corte”. Uma das marcas mais fortes de sua produção – “pedregosa e encantada”, como define Inácio Araujo – são as questões políticas.

A tecnologia, criando novos diálogos com o cinema, expande as maneiras de olhar e convida cineastas a explorar novos formatos. Os curtas “A Linha”, de Ricardo Laganaro, “Fogo na Floresta”, de Tadeu Jungle, e “Crianças Não Brincam de Guerra”, de Fabiano Mixo, estão na seção Realidade Virtual. O filme de Laganaro foi vencedor do prêmio VR Experience no Festival de Veneza 2019.

Mostra Brasil e Novos Diretores

A Mostra Brasil apresenta este ano uma seleção de 38 títulos (confira a lista completa no site da Mostra). Entre os destaques estão “O Juízo”, de Andrucha Waddington, com roteiro assinado por Fernanda Torres, e a exibição de um episódio da série “As Protagonistas”, de Tata Amaral, que conta a história do audiovisual do país a partir da contribuição das cineastas mulheres.

As produções nordestinas marcam forte presença no festival. Destaque para os cearenses “Pacarrete”, de Allan Deberton, premiado nos festivais de Gramado, Vitória e FAM, e “A Jangada de Welles”, de Petrus Cariry e Firmino Holanda. Alguns dos pernambucanos na seleção são “Acqua Movie”, de Lírio Ferreira, “Flores do Cárcere”, de Paulo Caldas e Bárbara Cunha, e “Beco”, de Camilo Cavalcante, este último na Competição Novos Diretores.

O carioca “Sem Seu Sangue”, primeiro longa de Alice Furtado, em competição, e o brasiliense “Indianara”, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa, estiveram nas mostras independentes do Festival de Cannes, Quinzena dos Realizadores e ACID, e estreiam na Mostra. Outro filme de destaque internacional é “Pacificado”, de Paxton Winters, ganhador do prêmio máximo do Festival de San Sebastián. A trama se relacionada às ocupações das UPPs nas favelas do Rio e está na Competição Novos Diretores.

O recente contexto político, econômico e social brasileiro é tema recorrente entre as produções. Entre os documentários, estão “Amazônia Sociedade Anônima”, de Estêvão Ciavatta; “Abismo Tropical”, de Paulo Caldas; “Chão”, de Camila Freitas; “O Paradoxo da Democracia”, de Belisario Franca e “Outubro”, de Maria Ribeiro e Loiro Cunha. Nas ficções, destacam-se “Três Verões”, de Sandra Kogut, e “Breve Miragem de Sol”, de Eryk Rocha.

Sessões gratuitas no Theatro Municipal

Entre os dias 18 e 20 de outubro, o Theatro Municipal recebe uma programação gratuita de filmes brasileiros da Mostra em parceira com a Spcine. Serão quatro sessões com ingressos distribuídos na Central da Mostra na véspera das exibições ou na bilheteria do Theatro uma hora antes.

“A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, recebeu o prêmio máximo da mostra Um Certo Olhar em Cannes 2019. Imagem: Divulgação

“A Vida Invisível” abrirá as exibições no local na sexta-feira (18), às 20h30. No sábado (19) e no domingo (20), nas sessões vespertinas, às 16h, a programação apresenta, respectivamente, “Abe”, de Fernando Grostein Andrade – protagonizado por Seu Jorge e Noah Schnapp (Stranger Things) – e “Turma da Mônica: Laços”, de Daniel Rezende.

A noite de sábado, às 21h, é reservada para “Três Verões”, de Kogut, protagonizado por Regina Casé. O encerramento acontece no domingo, às 20h30, com “Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz, filme vencedor do prêmio da crítica independente no Festival de Veneza.

Doses de Brasil na abertura e encerramento

Cena de “Wasp Network”, de Olivier Assayas, adaptado do livro de Fernando Morais e com Wagner Moura no elenco. Imagem: Divulgação

O filme de abertura da Mostra de São Paulo deste ano é “Wasp Network”, adaptado por Olivier Assayas do livro-reportagem “Os Últimos Soldados da Guerra Fria”, de Fernando Morais. O filme, coprodução França/Brasil/Espanha/Bélgica, é protagonizado por Penélope Cruz e traz no elenco Wagner Moura em papel de destaque. Entre os produtores, está Rodrigo Teixeira, da RT Features.

No encerramento, o longa “Dois Papas”, produção do serviço de streaming Netflix, é dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles, codiretor do clássico “Cidade de Deus”. A trama, baseada em fatos, acompanha as mudanças drásticas no Vaticano e é estrelada por Jonathan Pryce e Anthony Hopkins.

A sessão de abertura acontece nesta sexta-feira (18), às 16:30, no Cinearte 1. A de encerramento, no dia 30, quarta-feira, às 19h30, no Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer. Os ingressos para a Mostra de São Paulo 2019 custam R$ 20 (inteira) de segunda a quinta e R$ 24 (inteira) às sextas e aos finais de semana. Na Central da Mostra são vendidos pacotes promocionais.

A programação completa, com horários e locais das exibições, está disponível para download em PDF (por filme ou por dia) e no site. Imagem em destaque do filme “Pacarrete”, de Allan Deberton.

Pin It on Pinterest