Foram pouco mais de quatro meses entre as gravações e a versão final da nova série original para internet, Cidade do Sol. O novo trabalho do diretor mineiro Guto Aeraphe estreou em agosto nos cinemas e também na internet. A série, que aborda a atuação do Exército Brasileiro em missão de paz no Haiti, será exibida em formato de longa-metragem, com duração de 80 minutos, nos cinemas de Minas Gerais. Mas, a produção também pode ser vista pelo canal do WebSeriados, em formato de série, com sete episódios de 12 minutos.

O diretor Guto Aeraphe, que com suas produções Heróis (2011) e ApocalipZe (2012) participou dos principais festivais internacionais de produtos transmídia, como o Festival de Los Angeles, nos EUA, e o de Marseille, na França, manteve o costume de prestigiar os cenários mineiros nesse novo trabalho.

Inspirado pela realidade da atuação do Exército Brasileiro em parceria com a ONU em missões de paz para a estabilização de área de conflito e extrema pobreza no Haiti, o diretor debruçou-se sobre o tema. “A proposta desse novo filme é retratar a realidade daqueles que vivem e participam da realidade do povo haitiano, sujeitos a situações extremas o tempo todo. Para isso, nos apoiamos em quatro personagens principais que, com motivações e características completamente distintas, se cruzam em meio ao caos instalado no Haiti”, comenta o diretor.

E os frutos do novo trabalho já começam a ser colhidos pelo diretor. Cidade do Sol foi convidada para participar do Marseille Web Fest (França), neste mês de outubro, sendo uma das 25 webséries escolhidas no mundo inteiro para concorrer aos principais prêmios. Entre as produções concorrentes há nomes de peso, como o de Ridley Scott. Além disso, Guto Aeraphe foi convidado para participar de uma residência em roteiros que acontecerá antes do Festival em Marseille.

Cidade do Sol

O ano começa conturbado para a missão de paz da ONU no Haiti. As pressões interna e externa para a realização das eleições presidenciais são muito grandes e a desordem no país começa a ganhar força. Em meio a este caos, a jornalista norte-americana Rachel Clark é enviada para realizar uma reportagem sobre os abusos e as violências cometidas por milícias rebeldes que defendem a volta do ex-ditador ao poder. O que ela descobre in loco, porém, trata-se de um golpe contra o atual presidente do Haiti. Agora, a Minustah (Missão das Nações Unidas para estabilização do Haiti), liderada pelo Brasil, deverá, ao mesmo tempo, resgatar a jornalista e impedir o golpe que poderá colocar em risco a democracia no país.

Cidade do Sol traz como diferencial, sobretudo, sua temática. Com apelo internacional, o tema é praticamente inédito na cinematografia brasileira. Filmada com o apoio do Exército Brasileiro, a série contará com estrutura original, cedida pela instituição, para reproduzir fielmente a situação vivida no Haiti. Com atores de diferentes nacionalidades, dentre brasileiros, americanos e haitianos, a série é falada em português, inglês, francês e creole (língua local).

O filme será distribuido pela O2 Play e já está disponível na internet para aluguel e compra no site oficial, através da plataforma Vimeo On Demand. “Esta estratégia não atrapalha os rendimentos do filme; ao contrário, impulsiona! São duas experiências completamente diferentes. No Brasil, entrar nas salas de cinema é complicado e a internet ajuda a fazer com que o filme chegue aonde o público está”, afirma o diretor.

Além da estratégia multiplataforma, o diretor ainda lança um game inspirado na série. O jogo tem mapa único onde o jogador assume o papel do Sargento Max com a missão de resgatar a jornalista Rachel Clarck das mãos dos rebeldes. O jogo ainda está em sua fase Beta, mas já está disponível para baixar gratuitamente através do site oficial.

Sobre Guto Aeraphe

Guto Aeraphe é formado em Comunicação Social com Pós Graduação em Criação e Produção em Mídia Eletrônica pelo UNI-BH. Trabalha com audiovisual desde 1997 e nesse período já dirigiu e editou dezenas de comerciais para TV, realizou programas para TVs educativas e comerciais, produziu documentários, curta-metragens e webséries. Foi Professor de Fotografia, Produção Audiovisual e de Cinema em universidades mineiras e é autor do livro Websérie – Criação e Desenvolvimento. Com suas produções, já conquistou seis importantes prêmios internacionais em festivais transmídia, entre eles o de melhor diretor.