Expectativa é a palavra que descreve esta lista de filmes brasileiros que chegam aos cinemas ainda em 2019. Mais de 20 títulos estão com previsão de estrear entre junho e dezembro, entre eles os premiados “Divino Amor”, “Bacurau” e “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão” e o primeiro live action da Turma da Mônica.

Este é o quarto ano que o Assiste Brasil realiza essa seleção especial (veja as de 2016, 2017 e 2018) a partir de informações obtidas nos sites Filme B, AdoroCinema e de produtoras/distribuidoras. Agora, fique de olho no calendário e acompanhe as próximas estreias do cinema brasileiro:

Amazônia Groove

“Um mergulho apaixonado na música regional da amazônia, especialmente na música característica do Pará. Amazônia Groove faz um retrato das histórias dos músicos da região, responsáveis pela criação do boi bumbá e dos ritmos tradicionais, culminando na invasão tecnológica que possibilitou o desenvolvimento de gêneros musicais como o tecnobrega”.

Documentário dirigido por Bruno Murtinho. Com Mestre Damasceno, Dona Onete, Manoel Cordeiro, Sebastião Tapajós, Waldo Squash. Selecionado para o Festival do Rio 2018.

Estreia dia 6 de junho.

Beatriz

“Em Lisboa, Marcelo escreve um romance, utilizando a vida de sua própria esposa, Beatriz, como inspiração fundamental para a história. A criação toma rumos perigosos, comprometendo o amor que sentem um pelo outro”.

Direção de Alberto Graça. Com Marjorie Estiano, Sergio Guizé e Beatriz Batarda.

Estreia dia 6 de junho.

Deslembro

“Joana é uma adolescente que se alimenta de literatura e rock. Ela mora em Paris com a família, quando a anistia é decretada no Brasil, final de 79. De um dia para o outro, e a sua revelia, organiza-se a volta para o país do qual mal se lembra. No Rio de Janeiro, cidade onde nasceu e onde seu pai desapareceu nos porões do DOPS, seu passado ressurge. Nem tudo é real, nem tudo é imaginação, mas ao ‘lembrar’, Joana inscreve sua própria história no presente, na primeira pessoa”.

Direção de Flavia Castro. Com Jeanne Boudier, Hugo Abranches, Sara Antunes e Jesuita Barbosa. Selecionado para a Mostra Horizontes do Festival de Veneza 2018 e premiado no Festival do Rio 2018.

Estreia dia 20 de junho.

Divino Amor

“Brasil, 2027. Uma devota religiosa usa seu ofício num cartório para tentar dificultar os divórcios. Enquanto espera por um sinal divino em reconhecimento aos seus esforços é confrontada com uma crise no seu casamento que termina por deixá-la ainda mais perto de Deus”.

Direção de Gabriel Mascaro. Com Dira Paes, Julio Machado e Emílio de Melo. Seleção oficial dos festivais de Sundance e Berlim. Avaliação 100% no Rotten Tomatoes.

Estreia dia 27 de junho.

Turma da Mônica: Laços

“Após o sumiço do Floquinho, Cebolinha vai precisar da ajuda de seus inseparáveis amigos Mônica, Cascão e Magali para bolar um de seus planos infalíveis e recuperar seu cãozinho, dando origem a uma aventura que reacende os laços que unem a Turma da Mônica há mais de 50 anos”.

Direção de Daniel Rezende. Com Giulia Benite, Kevin Vechiatto, Laura Rauseo e Gabriel Moreira. Participações de Monica Iozzi, Paulo Vilhena e Rodrigo Santoro.

Estreia dia 27 de junho.

O Olho e a Faca

“Em uma plataforma de petróleo, um grupo de amigos se mantem unido como forma de aliviar as dificuldades enfrentadas pelo isolamento imposto àqueles que trabalham e vivem em alto-mar. Uma promoção desencadeia acontecimentos que desestruturam de maneira irreversível a amizade do grupo e a própria vida em terra de Roberto, o protagonista do filme. Ele é posto à prova pela força do destino e vivencia o drama de um homem comum frente a um gradual processo de isolamento”.

Direção de Paulo Sacramento. Com Rodrigo Lombardi, Maria Luísa Mendonça e Caco Ciocler.

Estreia dia 27 de junho.

Estrangeiro

“Elisabete (Cecilia Retamoza) viveu sua infância com seus pais na paradisíaca praia de Tabatinga, no nordeste do Brasil. Distante do contato com outras crianças, tinha em Daniela (Bruna Belmont) sua única amiga. Devido a um misterioso trauma, Elisabete abandona o seu lar e nunca mais permanece em um só lugar. Aos trinta anos, Elisabete anseia por uma identidade. Ela não se sente confortável em sua própria pele, uma estrangeira em seu mundo”.

Direção de Edson Lemos Akatoy. Selecionado para mais de 25 festivais nacionais e internacionais e vencedor do prêmio de Melhor Direção de Fotografia no 13º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Com Cecilia Retamoza, Bruna Belmont, Solana Bandeira e Ana Maria Nunes.

Estreia dia 4 de julho.

Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar

“A cidade de Toritama é um microcosmo do capitalismo implacável: a cada ano, mais de 20 milhões de jeans são produzidos em fábricas de fundo de quintal. Os moradores trabalham sem parar, orgulhosos de serem os donos do seu próprio tempo. Durante o Carnaval – o único momento de lazer do ano -, eles transgridem a lógica da acumulação de bens, vendem seus pertences sem arrependimentos e fogem para as praias em busca de uma felicidade efêmera. Quando chega a Quarta-feira de Cinzas, um novo ciclo de trabalho começa”.

Documentário de Marcelo Gomes. Menção Honrosa e Prêmio da Crítica do Júri no Festival É Tudo Verdade. Seleção Oficial do Sheffield Doc Fest e Festival de Berlim.

Estreia dia 11 de julho.

Simonal

Cinebiografia de Wilson Simonal, o cantor que saiu da pobreza e comandou as maiores plateias do Brasil. Uma vez no topo, passa a se sentir invencível: exibe a sua riqueza e gosto por carrões e mulheres; faz propaganda de multinacionais; e se recusa a fazer discurso engajado contra a ditadura. Até que resolve ameaçar seu contador quando se vê com problemas financeiros e acaba vendo seu nome envolvido com o DOPS.

Direção de Leonardo Domingues. Com Fabrício Boliveira, Isis Valverde, Leandro Hassum, Caco Ciocler.

Estreia dia 8 de agosto.

Hebe – A Estrela do Brasil

“Hebe Camargo se consagrou como uma das apresentadoras mais emblemáticas da televisão brasileira. Sua carreira passou por diversas mudanças ao longo dos anos, mas foi durante a década de 80, no período de transição da ditadura para a democracia, que Hebe, ao 60 anos, tomou uma decisão importante. A apresentadora passou a controlar a própria carreira e, independentemente das críticas machistas, do marido ciumento e dos chefes poderosos, se revelou para o público como uma mulher extraordinária, capaz de superar qualquer crise pessoal ou profissional”.

Direção de Maurício Farias. Com Andréa Beltrão, Marco Ricca, Danton Mello.

Estreia dia 15 de agosto.

Bacurau

“Um western brasileiro. Um filme de aventura e ficção científica. Daqui a alguns anos, Bacurau, um pequeno povoado do sertão brasileiro, dá adeus a Dona Carmelita, mulher forte e querida por quase todos, falecida aos 94 anos. Dias depois, começam os sinais de que a tranquilidade de Bacurau estará sob ameaça. No entanto, ninguém contava com um detalhe: que no passado desse lugar extraordinário estava adormecido um talento especial para a aventura”.

Direção de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Com Sonia Braga, Udo Kier, Bárbara Colen, Karine Teles. Indicado à Palma de Ouro e vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019.

Estreia dia 29 de agosto.

Vermelho Sol (Rojo)

“Em meados da década de 1970, uma onda de violência política sem precedentes começa a se desenrolar na Argentina. Isso, no entanto, parece ter pouco efeito em uma pequena cidade rural onde Dario, um advogado bem conhecido, leva uma vida tranquila com sua família. O curso normal das coisas é interrompido quando Dario entra em uma discussão acalorada que fica fora de controle”.

Coprodução Brasil, Argentina, França, Holanda e Alemanha. Dirigido pelo argentino Benjamin Naishtat. Com Alfredo Castro, Darío Grandinetti.

Estreia prevista para agosto.

Legalidade

“Em 1961, o governador Leonel Brizola lidera um movimento sem precedentes na história do Brasil: a Legalidade. Lutando pela constituição, mobiliza a população na resistência pela posse do presidente João Goulart. Em meio ao iminente golpe militar, uma misteriosa jornalista pode mudar os rumos do país”.

Direção de Zeca Brito. Com Cleo Pires, Leonardo Machado, Fernando Alves Pinto.

Estreia dia 12 de setembro.

Eduardo e Mônica

A história de amor cantada por Renato Russo e lançada no disco “Dois” do Legião Urbana ganhou uma adaptação cinematográfica. A história fala sobre o encontro entre Eduardo e Mônica, um casal muito diferente que parece ter mesmo nascido um para o outro.

Direção de René Sampaio. Com Alice Braga e Gabriel Leone.

Estreia dia 19 de setembro.

Morto Não Fala

“Stênio é plantonista noturno no necrotério de uma grande e violenta cidade. Em suas madrugadas de trabalho, ele nunca está só, pois possui um dom paranormal de comunicação com os mortos. Quando as confidências que ouve do além, contudo, revelam segredos de sua própria vida, Stênio desencadeia uma maldição que traz perigo e morte para perto de si e de sua família”.

Direção: Dennison Ramalho. Com Daniel Oliveira, Fabíula Nascimento, Bianca Comparato, Marco Ricca. Seleção oficial do Festival do Rio 2018 e do X Janela Internacional de Cinema do Recife.

Estreia dia 19 de setembro.

No Coração do Mundo

“Dona Sônia pediu uma arma para seu vizinho Alcides, para vingar seu filho Joca, morto por Beto, irmão de Miro, amante de Rose, amiga de Selma, que trabalha com Marcos, que namora com Ana, que quer sair de Contagem e ter uma vida melhor no coração do mundo”.

Direção de Gabriel Martins e Maurílio Martins. Com Kelly Crifer, Leo Pyrata, Grace Passô, Bárbara Colen. Premiere mundial no Internacional Film Festival Rotterdam – IFFR 2019.

Estreia dia 26 de setembro.

Inaudito

“O guitarrista Lanny Gordin é um dos personagens fundamentais na transformação da música brasileira a partir da década de 1960: eletrizou Gal Costa, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Jards Macalé, entre outros. Neste filme, dirigido por Gregorio Gananian e com criação de Danielly O.M.M, Lanny nos revela o seu processo libertário de composição e pensamento atual: o guitarrista embarca em uma insólita odisseia pela China, local de nascimento, e Brasil, país onde vive”.

Documentário dirigido por Gregório Gananiam. Selecionado para a 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Mostra de Tiradentes e Festival IN-EDIT.

Estreia dia 17 de outubro.

Os Sonâmbulos

“Era um pequeno grupo de demolidores de mundo. Perdidos na multidão, mas ligados uns aos outros, viviam na solidão da clandestinidade, às voltas com suas contradições: amavam a vida humana, mas desprezavam a própria vida. Estavam prontos ao sacrifício. Niilismo, melancolia, traição, desespero: consciências trágicas em uma longa viagem ao fim da noite – um conto de amor e de morte em um mundo em que o estado-de-exceção veio a se tornar regra e os últimos dias da humanidade não terminam nunca”.

Direção de Tiago Mata Machado. Com Clara Choveaux, Rômulo Braga, Carolina Castanho, Renan Rovida. Premiado na Mostra Caleidoscópio do 51º Festival de Brasília.

Estreia dia 7 de novembro.

Carcereiros – O Filme

“Um terrorista internacional vai passar uma noite no presídio, causando revolta e apreensão dos presos. Ao mesmo tempo, um grupo paramilitar invade o presídio, ao que parece, atrás deste preso. A noite será longa para Adriano, em meio ao caos que se instaurou”.

Direção de José Eduardo Belmonte. Com Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Dennison Ramalho e Marcelo Starobinas.

Estreia dia 7 de novembro.

Marighella

“Marighella não teve tempo pra ter medo. De um lado, uma violenta ditadura militar. Do outro, uma esquerda intimidada. Cercado por guerrilheiros 30 anos mais novos e dispostos a reagir, o líder revolucionário escolheu a ação”. Através do Twitter, Kleber Mendonça filho afirmou que o filme de estreia de Wagner Moura na direção chegará aos cinemas brasileiros em 20 de novembro. O anúncio foi feito na exibição do filme no Festival de Cinema de Sydney, na Austrália.

Direção de Wagner Moura. Com Seu Jorge, Adriana Esteves, Bruno Gagliasso, Luiz Carlos Vasconcelos e Humberto Carrão. Selecionado para o Festival de Berlim, onde aconteceu sua premiere, Sydney Film Festival, Santiago Festival Internacional de Cine, Festival do Cinema Brasileiro de Paris e Bari International Film Festival.

Estreia dia 20 de novembro.

Depois a Louca Sou Eu

Sétimo longa-metragem de Julia Rezende inspirado no livro homônimo de Tati Bernardi. O filme conta a história de Dani e a busca pela cura das crises de ansiedade que a acompanham desde a infância.

Protagonizado por Débora Falabella.

Estreia prevista para novembro.

Noites de Alface

“Depois de presenciar a morte de sua esposa Ada, o rabugento Otto volta a ter problemas para dormir sem o seu remédio natural: um chá de alface que a mulher preparava todas as noites. Sozinho e cansado, sua única opção é observar o cotidiano de seus peculiares vizinhos, mas logo sua participação começa a ficar mais interativa do que o esperado”.

Direção de Zeca Ferreira. Com Marieta Severo, Everaldo Pontes, Inês Peixoto.

Estreia prevista para novembro

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão

“Rio de Janeiro, 1950. Euridice, 18 e Guida, 20, são duas irmãs inseparáveis. Elas vivem em casa e cada uma cultiva um sonho: tornar-se uma renomada pianista ou encontrar um amor verdadeiro. Por causa de seu pai, elas são forçadas a viver uma sem a outro. Separadas, elas assumirão o controle de seu destino, sem jamais perder a esperança de se reencontrarem. Um melodrama tropical”.

Direção de Karim Aïnouz. Com Carol Duarte, Julia Stockler, Gregório Duvivier. Participação de Fernanda Montenegro. Premiado na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes 2019.

Estreia prevista para novembro.

Atualizações podem ser feitas periodicamente*. Envie sugestões para o e-mail [email protected]. Imagem em destaque do filme “Marighella”, de Wagner Moura. * Atualização mais recente: 10 de julho de 2019, às 16h04.

Leia mais

Comentrários

comentários

Pin It on Pinterest