Passados quase três anos de Assiste Brasil, chegamos a nossa terceira lista especial de lançamentos (acesse as listas de 2016 e 2017). Para este ano, reunimos produções e coproduções, entre ficções, documentários, adaptações, cinebiografias e animações, organizados por ordem de previsão de estreia no circuito comercial brasileiro.

Confira abaixo nossa seleção de 37 filmes brasileiros para assistir nos cinemas em 2018.

1. Como você me vê?, de Felipe Bond

Trailer Filme – Como você me vê? – Coprodução Canal Brasil e Asteróide from Felipe Bond on Vimeo.

O que é ser ator ou atriz? O documentário “Como Você Me Vê?” examina a realidade da vida desses profissionais, experientes e iniciantes, rompendo o filtro do glamourização e apresenta o ser humano comum, movido pela paixão da arte de representar. Previsão de estreia: 18 de janeiro

2. Peixonauta – O Filme

Quando o Doutor Jardim não retorna da cidade, Peixonauta, Marina e Zico partem para resgatá-lo. Mas quando chegam lá, descobrem que todos na cidade sumiram. O Peixonauta comanda essa aventura em sua primeira vez na cidade grande. Previsão de estreia: 25 de janeiro

3. Antes do fim, de Cristiano Burlan

Jean sente-se preso na lógica de longevidade que a indústria farmacêutica o impõe e decide planejar um suicídio consciente. Ele convida Helena para que o suicídio seja a dois. Ela, por sua vez, hesita, sabe que viverá bem inclusive se precisar viver só, mas o ajuda em suas intenções. Juntos, eles preparam todos os detalhes para o funeral. Com Helena Ignez e Jean-Claude Bernardet. Previsão de estreia: 15 de fevereiro

4. Cartas para um ladrão de livros, de Carlos Juliano Barros e Caio Cavechini

O documentário acompanha os últimos cinco anos de Laéssio Rodrigues de Oliveira, considerado pelas autoridades brasileiras o maior ladrão de livros raros do País. A história do jovem balconista de padaria, obcecado por papéis antigos, que passou a frequentar as altas rodas de colecionadores de arte e encerrou sua participação nas páginas dos cadernos policiais. Previsão de estreia: 1º de março

5. Todas as razões para esquecer, de Pedro Coutinho

Da psicanálise cognitiva ao Tinder, passando pelo tarja-preta, Antônio faz o possível (e o impossível) para controlar os próprios sentimentos e esquecer Sofia, sua ex. Com Johnny Massaro (O Filme da Minha Vida) e Bianca Comparato (3%). Previsão de estreia: 1º de março

6. Piripkura, de Mariana Oliva, Renata Terra, Bruno Jorge

Um movimento pela preservação de nossa floresta, nossa história, nosso povo. Previsão de estreia: 1º de março

7. Motorrad, de Vicente Amorim

Com personagens criados pelo quadrinista Danilo Beyruth, com inspiração em Motoqueiro Fantasma, Motorrad foi rodado na Serra da Canastra (MG). No suspense, um grupo de amigos motociclistas se aventura por terras despovoadas quando é surpreendido por uma gangue de motoqueiros que vestem negro da cabeça aos pés. Previsão de estreia: 1º de março

8. Torquato Neto – Todas as horas do fim, de Eduardo Ades e Marcus Fernando

Torquato Neto (1944-1972) vivia apaixonadamente as rupturas. Atuando em múltiplas frentes – no cinema, na música, no jornalismo –, o poeta piauiense engajou-se ativamente na revolução que mudou os rumos da cultura brasileira nos anos 60 e 70. Foi um dos pensadores e letristas mais ativos da Tropicália, parceiro de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Jards Macalé. Junto à arte marginal, radicalizou sua atuação e crítica cultural, com Waly Salomão, Ivan Cardoso e Hélio Oiticica. Por fim, rompe com sua própria vida. Suicida-se no dia de seu aniversário de 28 anos. Previsão de estreia: 8 de março

9. Santoro – O homem e sua música, de John Howard Szerman

A vida e obra do músico, compositor e maestro amazonense Claudio Santoro (1919-1989), autor de mais de 600 obras em 50 anos de carreira, considerado um dos mais importantes músicos eruditos do Brasil ao lado de Carlos Gomes e Villa-Lobos. O documentário é o registro de quatro sinfonias e diversas peças musicais e entrevista com personalidades importantes em sua trajetória. Previsão de estreia: 8 de março

10. Encantados, de Tizuka Yamasaki

Zeneida (Carolina Oliveira) jamais se deixou passar por uma garota qualquer. Ela sempre soube ser única. A adolescente, irreverente e luminosa, transforma-se quando é desafiada, quando não tem respostas prontas ou não consegue se explicar. Suas ações são incompreensíveis, acessos de pânico, muitas vezes de ira, gritos histéricos, chegando mesmo a pequenas convulsões. Previsão de estreia: 8 de março

11. Pra ficar na história, de Boca Migotto

Luiz Fitarelli, um apaixonado pela imigração italiana, é o personagem principal desse documentário. Ele começou colecionando objetos e passou a colecionar casas. Construiu um museu ao ar livre e viajou para a Itália em busca de suas raízes. Previsão de estreia: 8 de março

12. A imagem da tolerância, de Joana Mariani e Paula Trabulsi

A dupla de cineastas indaga uma reflexão à partir da ampla simbologia por trás da imagem de Nossa Senhora Aparecida, que possui devotos diversos e uma infinidade de significados para cada um deles. Dispostas a questionar as variáveis dessa devoção, elas convocam entrevistas com pessoas públicas e privadas para ouvir suas histórias de fé, espiritualidade e, principalmente, tolerância. Previsão de estreia: 8 de março

13. A luta do século, de Sérgio Machado

O documentário narra a trajetória dos pugilistas Reginaldo Holyfield e Luciano Todo Duro, que encontraram no boxe uma maneira de escapar da miséria e tornaram-se dois dos maiores ídolos do esporte nordestino. A rivalidade entre eles colocou em pé de guerra Bahia e Pernambuco nos anos 90. Durante mais de 20 anos, os dois se odiaram tanto que não podiam dividir o mesmo espaço sem se agredir. Eles se enfrentaram 6 vezes, com 3 vitórias para cada lado. Durante as filmagens, os inimigos, já com mais de 50 anos, resolveram se enfrentar pela última vez. Previsão de estreia: 15 de março

14. O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras, de Petrônio Lorena

O documentário reúne poetas da fronteira das regiões sertanejas do Cariri paraibano com o Pajeú pernambucano. Os sentimentos, as memórias das histórias e dos versos de poetas falecidos, em sua maioria célebres apenas na região, são os ingredientes para navegar nas ondas da poesia do sertão nordestino. Previsão de estreia: 15 de março

15. Híbridos – Os espíritos do Brasil, de Priscilla Telmon e Vincent Moon

Coprodução Brasil/França, o documentário desvela um dos grandes assuntos da nossa geração – a espiritualidade está em voga em nossa sociedade e o seu epicentro é o Brasil. Revelando os laços fraternos entre curandeiros, xamãs, místicos, devotos e iniciados, sem comentários ou entrevistas, o filme é uma jornada musical através dos diversos rituais. Previsão: 15 de março

16. Imagens do Estado Novo – 1937– 45, de Eduardo Escorel

Recorrendo a vasto material de arquivo,, o documentário reavalia a herança do período ditatorial de Getúlio Vargas (1937-1945) e explora as diversas camadas da trama política do regime do Estado Novo, expondo suas fontes de inspiração externas, sua forma de funcionamento e contradições. Previsão de estreia: 15 de março

17. O caso do homem errado, de Camila de Moraes

Segundo longa brasileiro da história com direção solo de mulher negra a ser lançado comercialmente no país. O documentário de Camila de Moraes trata sobre o genocídio da juventude negra no Brasil partindo do caso do operário Júlio César de Melo Pinto, executado por policiais militares ao ser confundido com assaltante, em 1987. Previsão de estreia: 22 de março

18. Soldados do Araguaia, de Belisario Franca

O documentário se propõe a dar voz às memórias e traumas de recrutas de baixa patente do Exército Brasileiro que combateram na sangrenta e nebulosa Guerrilha do Araguaia. Previsão de estreia: 22 de março

19. Górgona, de Fábio Furtado e Pedro Jezler

Ao longo de cinco anos, durante as temporadas da peça “As Três Velhas”, de Alejandro Jodorowsky, os cineastas registraram os bastidores da montagem dirigida e estrelada por Maria Alice Vergueiro, de 83 anos, que convive com o Mal de Parkinson desde 2001. Previsão de estreia: 29 de março

20. Zama, de Lucrecia Martel

Baseado no livro homônimo de Antonio di Benedetto, o longa conta a história de Don Diego de Zama, um oficial da Coroa Espanhola que no fim do século XVIII parte para Buenos Aires e se junta a um grupo de soldados à caça de um perigoso bandido, enquanto explora terras habitadas por índios. O filme é uma coprodução entre Brasil, Argentina e outros oito países. Previsão de estreia: 29 de março

21. Arábia, de Affonso Uchoa e João Dumans

André é um jovem morador da Vila Operária, bairro vizinho a uma velha fábrica de alumínio, em Ouro Preto, Minas Gerais. Um dia, ele encontra o caderno de um dos operários da fábrica. Vencedor do 50º Festival de Brasília e selecionado para o Festival de Rotterdam 2017. Previsão de estreia: 5 de abril

22. Aos teus olhos, de Carolina Jabor

Rubens (Daniel de Oliveira) é um professor de natação querido por todos, até que uma acusação inesperada viraliza nas redes. Quando todos os lados buscam a verdade, para onde vai o seu olhar? Previsão de estreia: 12 de abril

23. Todo clichê do amor, de Rafael Primot

Uma prostituta passional decide se tornar mãe. Um entregador comete um assassinato como prova de amor a uma garçonete comprometida. A última chance que uma madrasta tem para conquistar o afeto de sua enteada durante velório de seu esposo. Um entrechoque de carências e erros desses outsiders que emerge novas e inesperadas formas de afeto. Previsão de estreia: 12 de abril

24. Severina, de Felipe Hirsch

Coprodução Brasil-Uruguai, o trama acompanha a vida de um livreiro, melancólico e aspirante a escritor, abalada pelas aparições e desaparições de sua nova musa que rouba na sua livraria. Ele começa a viver um delírio amoroso, na fronteira entre a ficção e a realidade. O filme participou da seleção oficial do Festival de Locarno, Festival do Rio e Mostra Internacional de São Paulo no ano passado. A produção é da RT Features, de Rodrigo Teixeira, brasileiro indicado ao Oscar por “Me chame pelo seu nome”. Previsão de estreia: 12 de abril

25. Quase memória, de Ruy Guerra

Carlos se encontra consigo mesmo em um desdobramento do tempo: o Carlos jovem está diante do esquecimento de Carlos velho. Até que um dia, entre as lembranças e esquecimentos de suas memórias, eles recebem um estranho pacote que só poderia ter sido enviada por seu pai, morto há anos, um homem excêntrico que sempre criou situações inusitadas. Levou o prêmio especial do júri no Festival do Rio 2017. Previsão de estreia: 19 de abril

26. Praça Paris, de Lúcia Murat

Marcada pela violência de um pai abusivo e do irmão traficante, Gloria (Grace Passô) tenta conduzir a vida conturbada no Morro da Providência, quando passa a receber atendimento clínico da jovem psicanalista portuguesa Camila (Joana de Verona). Traumas, medo, ação e obsessão mesclam-se num jogo de prazer e culpa, sanidade e loucura. O filme é uma coprodução Brasil, Argentina e Portugal. Lúcia Murat ganhou o prêmio de melhor direção com o filme no Festival do Rio 2017. Previsão de estreia: 26 de abril

27. A moça do calendário, de Helena Ignez

O filme conta a história de Inácio, quarenta anos, casado, sem emprego fixo. Ex-gari Inácio trabalha como dublê de dançarino e mecânico da oficina Barato da Pesada, onde sonha com a Moça do Calendário. No filme o real e o sonho se entrelaçam. Previsão de estreia: 31 de maio

28. As boas maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Ana contrata Clara, uma solitária enfermeira moradora da periferia de São Paulo, para ser babá de seu filho ainda não nascido. Conforme a gravidez vai avançando, Ana começa a apresentar comportamentos cada vez mais estranhos. Previsão de estreia: 7 de junho

Leia a crítica de Fernanda Mendonça.

29. Baronesa, de Juliana Antunes

Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com a chuva. Previsão de estreia: 7 de junho

Leia a crítica de Fernanda Mendonça.

30. Alguma coisa assim, de Esmir Filho e Mariana Bastos

ALGUMA COISA ASSIM (Something Like That) from Saliva Shots on Vimeo.

Coprodução Brasil-Berlim apresentada como o “Boyhood” brasileiro. O filme se passa entre São Paulo e Berlim e retrata a amizade de Mari (Caroline Abras) e Caio (André Antunes) ao longo de 10 anos em 3 momentos marcantes. Tudo começou a partir do curta homônimo, premiado no Festival de Cannes em 2006, disponível na íntegra no vídeo acima. Previsão de estreia: 2 de agosto

31. O nome da morte, de Henrique Goldman

Um filme sobre a vida – e as mortes – de Júlio Santana, um pistoleiro responsável por 492 assassinatos em todo o país. Homem cristão e caridoso, bom filho e bom pai de família, Júlio é atormentado por sua consciência a cada disparo. Baseado em uma história real. Previsão de estreia: 9 de agosto

32. Como é cruel viver assim, de Júlia Rezende

Trailer Final Festival do Rio Como é Cruel Viver Assim from Atitude Produções on Vimeo.

Solitários, frustrados e incapazes de realizar qualquer coisa que dê sentido às suas vidas, Vladimir, Clivia, Regina e Primo armam um plano absurdo: sequestrar um milionário. Mas eles não têm nenhuma experiência com crimes nem noção do que essa operação pode envolver. Enquanto tomam as providências práticas, revelam-se seus medos e ambições.​ Previsão de estreia: 16 de agosto

33. Chacrinha – O velho guerreiro, de Andrucha Waddington

A história de José Abelardo Barbosa (Stepan Nercessian) é narrada desde a época de sua juventude, quando fazia faculdade de medicina e larga tudo para se aventurar como locutor em uma rádio. Depois de então, acompanhamos a transformação de sua vida e a criação seu alter ego, Chacrinha, o velho guerreiro. Previsão de estreia: 23 de agosto

34. Ferrugem, de Aly Muritiba

Tati e Renet já trocavam fotos, vídeos e músicas pelo celular, e na última viagem da escola começaram a trocar olhares. Mas o que poderia ser o começo de uma história de amor, acaba virando o fim. Previsão de estreia: 6 de setembro

35. Turma da Mônica – Laços, de Daniel Rezende

Resultado de imagem para turma da monica laços

Adaptação live-action da turminha do Limoeiro para os cinemas. A direção ficou a cargo de Daniel Rezende (Bingo: O Rei das Manhãs). Previsão de estreia: 11 de outubro 

Errata adicionada dia 13 de junho de 2018: a produção do filme “Turma da Mônica – Laços” informou ao Assiste Brasil que as filmagens acontecem entre junho e julho deste ano e a previsão de estreia atualizada é janeiro de 2019.

36. O juízo, de Andrucha Waddington

Suspense com Fernanda Montenegro e Lima Duarte, será ambientado em antigos casarões. Poucas informações foram divulgadas sobre o filme. Previsão de estreia: 8 de novembro

37. Berenice procura, de Allan Fiterman

Resultado de imagem para Berenice procura

A taxista Berenice (Cláudia Abreu) vive uma crise familiar com seu marido machista e o filho em busca de sua identidade sexual. O assassinato de uma linda transgênero na praia de Copacabana acende seu lado investigativo e transforma sua vida. Ainda sem data prevista para estreia.

As sinopses foram retiradas dos trailers, sites de festivais e dos sites dos filmes. A imagem de destaque é do filme “O caso do homem errado”, de Camila de Moraes. Quer adicionar seu filme à lista ou enviar alguma sugestão? Entre em contato conosco através do e-mail [email protected].

Extras

Saudade, de Paulo Caldas

Uma busca para entender o significado saudade. A relação transversal que se estabelece entre a produção artística e a saudade é apresentada por meio do olhar de artistas lusófonos contemporâneos. Vencedor do prêmio de Melhor Documentário de Longa-metragem no Festin 2018. Previsão de estreia: 18 de janeiro

Em nome da América, de Fernando Weller

A controversa presença de milhares de jovens norte-americanos no Nordeste brasileiro na década 1960, participantes do programa de voluntariado Peace Corps (Corpos da Paz), é o tema central do documentário. Por meio de testemunhos, vasto material de arquivo e documentação histórica, Em Nome da América traz à tona as contradições entre a política exterior norte-americana inaugurada por John F. Kennedy e as motivações dos voluntários, que se viram atônitos diante das mazelas de uma região marcada pela fome e pela violência. O golpe militar de 1964 no Brasil, a Guerra do Vietnã, a infiltração da CIA na América Latina completam o cenário e revelam o temor das elites e dos governos de que o Nordeste brasileiro se tornasse uma “nova Cuba”. Previsão de estreia: 5 de abril

O processo, de Maria Augusta Ramos

“O Processo” oferece um olhar pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da presidente Dilma Rousseff em 31 de agosto de 2016. O filme testemunha a profunda crise política e o colapso das instituições democráticas no país. Previsão de estreia: 17 de maio

Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg

Dono da boate Paraíso Perdido, o patriarca José (Erasmo Carlos) faz de tudo para garantir a felicidade de seu clã: os filhos Angelo (Júlio Andrade) e Eva (Hermila Guedes), o filho adotivo Teylor (Seu Jorge) e os netos Celeste (Julia Konrad) e Imã (Jaloo). Unida pela música e por um amor incondicional, a excêntrica família encontra forças para lidar com seus traumas cantando clássicos da música popular romântica e atrai a curiosidade do misterioso Odair (Lee Taylor), um policial que cuida da mãe surda, uma ex-cantora (Malu Galli). Estreia: 31 de maio

Atualizações feitas periodicamente. Última atualização: 5 de junho de 2018

Leia mais

Comentrários

comentários

Pin It on Pinterest