O Centre International de Liaison des Ecoles de Cinéma et de Télévision (CILECT) reconheceu a animação brasileira “Oceano” como a melhor produção do gênero da América Latina em 2017. A associação internacional de escolas de cinema existe desde 1955 e elege anualmente produções de destaque realizadas por estudantes das escolas associadas.

O curta-metragem dirigido por Renato Duque apresenta Luna, uma garota que tem o superpoder de controlar a água. Com uma personalidade intimista, a jovem enfrenta um dilema interno sobre seu dom sobrenatural. Reflexiva, questiona-se sobre a utilidade de seu poder e como poderia salvar o planeta de uma crise ambiental.

Imergindo em “Oceano”

“Oceano” foi realizado em rotoscopia, técnica em que os desenhos são construídos a partir de imagens reais. Imagem: Divulgação

“Oceano” foi desenvolvido como projeto de conclusão de curso de estudantes de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP). Uma equipe de quase 30 pessoas participou do processo de filmagem e montagem do curta de 15 minutos.

“Oceano” foi inteiramente realizado em rotoscopia, técnica que elabora os desenhos a partir de imagens previamente filmadas. Os personagens da animação foram desenvolvidos em pintura digital, enquanto os cenários em pinturas reais em aquarela. Entre as referências da produção, estão as animações japonesas “Sailor Moon” e “Sakura Card Captors”.

O curta estreou em março no Animfest Athens (Grécia) e segue sua participação em festivais do Brasil e do mundo. As próximas exibições confirmadas são no ANIMAGE – Festival Internacional de Animação de Pernambuco, em novembro, e na Mostra Udigrudi Mundial de Animação – MUMIA, em dezembro. Confira abaixo o trailer:

Mais informações sobre o roteiro de exibição de “Oceano” estão disponíveis na página do filme no Facebook.

Leia mais

Comentrários

comentários

Pin It on Pinterest