As aventuras de um peixe agente secreto que vive entre o mundo aquático e terrestre em busca de soluções para proteger o meio ambiente conquistaram milhares de mini-fãs no Brasil e no mundo. Desde sua estreia em 2009, a série animada Peixonauta chamou a atenção do público e da crítica por aliar entretenimento a conteúdo educativo, levantando discussões pertinentes da atualidade, como sustentabilidade e ecologia.

Em um mercado de séries infantis predominantemente ocupado por produções britânicas e norte-americanas – como Peppa PigBackyardigans e A Hora da Aventura – o brasileiríssimo Peixonauta ganhou destaque. A série produzida pela TV PinGuim em associação com a Discovery Kids tem como público-alvo crianças entre 4 e 7 anos e está em sua segunda temporada.

A TV PinGuim tem um papel importante na história da produção audiovisual brasileira. Fundada em 1989 por Célia Catunda e Kiko Mistrorigo, com sede em São Paulo (SP), a produtora conseguiu fazer o que nenhuma outra havia conseguido: produzir uma série de animação inteiramente no Brasil e conquistar seu espaço nos canais de TV.

Célia Catunda explica que o processo para conquistar o reconhecimento internacional com Peixonauta começou quando a série ainda era uma ideia. “Quando pensamos em criar a série, já a visualizamos com um formato internacional, em relação à duração e ao número de episódios, como também em relação ao conteúdo”, conta.

A TV PinGuim foi uma das produtoras pioneiras no mercado de animações brasileiro. No início dos anos 90, a animação era vista no Brasil como atividade exclusiva de serviço para publicidade. “A TV PinGuim sempre apostou na produção de conteúdo infantil, mas como não existia no Brasil espaço para a produção independente nos canais de TV, a empresa resolveu buscar o mercado internacional através de programas de exportação”, ressalta Célia.

Foi trilhando esse caminho que a TV PinGuim conseguiu viabilizar a produção de Peixonauta em associação com o Discovery Kids e alcançar toda a América Latina, o que impulsionou seu reconhecimento em outros continentes. “O desenho já foi vendido para mais de 80 países, entre eles Estados Unidos, Canadá, Índia, Emirados Árabes, Iraque, Hong Kong, Singapura, Coreia, Angola e Moçambique”, destaca Célia.

Regulamentação

Durante 5 anos, a Lei da TV paga ficou em discussão no Congresso Nacional. A proposta era remover barreiras à competição entre produções nacionais e estrangeiras pela veiculação em canais de televisão por assinatura no Brasil. Com a aprovação da Lei 12.485 em 2011, foram criadas condições para o desenvolvimento do mercado de produção e circulação de conteúdos audiovisuais brasileiros.

Quando Peixonauta foi ao ar pela primeira vez no Discovery Kids, a lei ainda não havia sido regulamentada. Mesmo assim, a série fez sucesso nos canais de TV paga do Brasil e também na América Latina. Como pioneiro em termos de produção nacional infantil e devido ao enorme sucesso de audiência, Peixonauta foi fundamental como exemplo para a aprovação da lei. “A lei da TV paga foi um marco para a produção independente brasileira, pois, com as cotas, abriu-se o diálogo entre os produtores nacionais e canais a cabo”, explica Célia.

Dessa forma, a nova lei abriu oportunidades para novos empreendedores e impulsionou o crescimento de diversos segmentos ligados a produções audiovisuais. Por ser um mercado novo no Brasil, há carência de produtoras e de mão de mão de obra especializada.

Concorrer com grandes produções norte-americanas no comércio mundial ainda é um desafio. “Precisamos aumentar o número de produções e agilizar o acesso aos recursos para viabilizá-las. Tecnologicamente estamos distantes dos Estados Unidos e as cifras investidas são ainda mais díspares. Porém, em termos de narrativa e criatividade, podemos competir de igual para igual”, destaca Célia.

A importância do network

Frequentando desde 2005 os mais relevantes eventos internacionais de televisão, a TV PingGuim conquistou espaço e estabilidade no mercado do audiovisual em diferentes continentes. “Foi dessa forma que estabelecemos um network muito forte com canais de TV no mundo todo e Peixonauta foi sendo vendida gradualmente”, explica Célia.

A partir da rede de contatos, a produtora ficou conhecida mundialmente, o que abriu novas oportunidades. A importância do network foi comprovada quando O Show da Luna!, nova produção internacional da TV PinGuim, foi vendida de imediato para a rede televisiva norte-americana NBC Sprout, como também para o Discovery Kids e TV Brasil.

Show da Luna!

A série O Show da Luna! (Earth to Luna!, em inglês) estreou primeiro nos Estados Unidos, em agosto de 2014, e chegou ao Brasil dois meses depois, no Discovery Kids. A série infantil também tem cunho educativo e foi pensada para crianças entre 3 e 5 anos. Na animação, a personagem principal, Luna, ama a ciência e vive aventuras desvendando os fenômenos da natureza.

A fundadora da TV PinGuim, que, junto a Kiko Mistrorigo, assina a criação e direção das séries, explica que um fator importante para que o negócio se torne internacional é a universalização do conteúdo. “O desenvolvimento das séries foi feito de forma a criar um conteúdo universal, sem regionalismos, com humor e histórias que podem ser entendidas em qualquer lugar do mundo”, acrescenta.

Investimentos

Em 2008, a produtora fez uma operação de financiamento junto ao BNDES para ajudar com os custos da primeira temporada de Peixonauta. Após a quitação, em 2013, a TV PinGuim realizou um novo financiamento no início de 2014 para um plano de negócios da empresa, destinando verbas para produção, marketing, licenciamento e internacionalização.

Além das séries, a TV PinGuim assina sua linha de produtos, com bonecos, roupas, livros, material escolar, jogos, apps, games online e, em parceria com a editora Abril, também lançou uma série de HQ. “Seguiremos trabalhando e intensificando a criação, produção e exploração de nossas marcas. Pretendemos acelerar os ciclos de financiamento e produção, assim como ampliar nossa presença no mercado internacional, que hoje já representa 45% de nossas receitas”, revela Célia.

Em 2012, a produtora lançou o filme Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A, dirigidio por Célia Catunda e Kiko Mistrorigo, e recebeu o prêmio de Melhor Longa-Metragem Infantil no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2013. Em seus anos de atuação no mercado brasileiro, a TV PinGuim criou e produziu outras séries infantis, como Rita, De Onde Vem?, As Aventuras de Teca, Entre Pais e Filhos, veiculadas no Brasil pela TV Cultura, Canal Futura e TV Escola.

No ano passado, a TV PinGuim lançou a série Gemini 8, um sci-fi para crianças em exibição no Disney Channel e também disponível em formato de HQ; e anunciou a produção do longa Tarsilinha, onde será retratado o universo das obras de Tarsila do Amaral. Para o segundo semestre de 2016, Célia confirmou o lançamento de outro longa-metragem de Peixonauta, dessa vez mais elaborado e em 3D.

Publicado originalmente no Administradores.com.

Comentrários

comentários

Pin It on Pinterest