O Janela Internacional de Cinema do Recife chega ao último dia de sua oitava edição. Durante dez dias, o festival abrigou uma intensa programação com sessões de curtas e longas, lançamento de livros, debates, oficinas, reuniões do Janela Crítica e tour guiado. Na seção de exibições, o festival comemora recorde inédito de público: mais de 19 mil pessoas passaram pelos cinemas São Luiz, da Fundação e do Museu, este último um novo equipamento no circuito do Janela. Para o encerramento, neste domingo (15), ao meio-dia, foi realizada a cerimônia de premiação na Orbe Coworking (Centro do Recife).

Na competição de longas, o prêmio principal foi para “Futuro Junho” (Brasil, Holanda, 2015), da brasiliense Maria Augusta Ramos. “Um longa de construção elegante e inteligente, que nos leva a um passado recente e ajuda a compreender melhor as engrenagens do atual sistema financeiro e social”, diz a justificativa do júri, formado pelo curador e produtor Fabiano Canosa, o realizador Claudio Marques (diretor do Panorama Coisa de Cinema) e Beth Sá Freire (diretora-adjunta do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo). O longa de Maria Augusta também levou menção honrosa do Janela Crítica e o prêmio de melhor longa pela Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco (ABC/PE).

O romeno Corneliu Porumboiu, com seu longa “O Tesouro” (Comoara, Romênia, 2015), ganhou em duas categorias pelo júri oficial (prêmio especial e melhor imagem) e, ainda, foi eleito o melhor longa pelos jurados do Janela Crítica. A justificativa do júri oficial é que se trata de “um filme que utiliza a potência do cinema para contar uma história absurda e surpreendente. E que coloca o espectador num estado de cumplicidade tamanha que, em seu desfecho, leva a plateia às palmas de contentamento, alívio e muitos sorrisos”. Sobre a imagem vencedora, a cena final da caixa de “O Tesouro”, o júri afirma que é a “mais sensacional, a que não se esquece neste Janela, a que foi muito esperada e mesmo assim surpreendente…”.

Cinema São Luiz no último dia do Janela Internacional do Recife. Foto: Reprodução/Instagram

Cinema São Luiz no último dia do Janela Internacional do Recife. Foto: Reprodução/Instagram

Ainda na competição de longas, o prêmio de melhor som foi para “Mate-me Por Favor” (Brasil, Argentina, 2015), da diretora carioca Anita Rocha da Silveira; e o de melhor montagem, para “Dead Slow Ahead” (Espanha, França, 2015), do espanhol Mauro Herce. O júri de longas decidiu conceder uma menção especial a quatro jovens atores da novíssima safra de talentos do cinema brasileiro: Alyne Santana, de “Boi Neon” (Brasil, Uruguai, Holanda, 2015), dirigido por Gabriel Mascaro; Ariclenes Barroso e Júlia Bernat, de “Aspirantes” (Brasil, 2015), com direção de Ives Rosenfeld; e Valentina Herszage, de “Mate-me, por favor”.

Instituído pelo Janela desde a edição do ano passado em homenagem ao amigo e crítico baiano falecido em 2014, foi concedido ao longa português “Visita ou Memórias e Confissões, autobiografia de 1982 do mestre Manoel Oliveira, falecido em abril deste ano, o Prêmio João Sampaio para Filmes Finíssimos que Celebram a Vida.

Curtas – Formado pelo realizador Paolo Gregori (coordenador do curso de cinema da AESO), a produtora Livia de Melo e Sophie Mirouze (programadora do festival de La Rochelle na França), o júri de curtas nacionais elegeu o mineiro “Lembranças de Mayo”, de Flávio C. von Sperling a melhor na categoria por ser “uma homenagem ao cinema brasileiro, plena de leveza, magia e encanto. Memória viva”. O júri oficial também concedeu prêmios para “Submarino” (São Paulo, 2014), de Rafael Aidar (melhor imagem); “Outubro Acabou” (Brasil, Portugal, 2015), de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman (melhor montagem); “Quintal” (Minas Gerais, 2015), de André Novais Oliveira (melhor som); e “E” (São Paulo, 2014), de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes (menção honrosa/especial).

Na Competição Internacional de Curtas, o júri formado por Bernard Payen (programador da Cinemateca Francesa de Paris), o realizador argentino Santiago Calori e pela produtora Rachel Ellis premiou o australiano “Caravan” (2014), de Keiran Watson-Bonnice, como o melhor do festival. “Por nos fazer sentir a angustia dos personagens enquanto eles estavam ainda inconscientes do que está acontecendo na cena. Por nos proporcionar emoções fortes em apenas cinco minutos”, revela a justificativa do júri sobre “Caravan”. A melhor imagem foi para o colombiano “La impresión de uma Guerra” (2015), de Camilo Restrepo; o melhor som para “The Old Jewish Cemetary” (Letônia, Holanda, 2014), de Sergei Loznitsa; a melhor montagem para “I’m in Pittsburg and it’s raining” (EUA, 2015), de Jesse McLean; e, ainda, menção honrosa de melhor ator para Lamine Diaby, por “La Fin du Dragon” (França, 2015), da diretora Marina Diaby.

Em parceria com o Canal Curta!, também foi concedido aos dois curtas “A Festa dos Cães” (Ceará, 2015), de Leonardo Mouramateus, e “A outra margem” (Mato Grosso do Sul, 2015), de Nathalia Tereza (eleito o melhor curta pelo júri da Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco- ABC/PE, junto com “De Terça Pra Quarta”, de Victor Costa Lopes), o Prêmio de Aquisição do Canal Curta!. “Em sintonia com as diversidades narrativas que o Canal Curta! procura contemplar em sua programação, oferecemos os dois Prêmios Aquisição. Obras de dois realizadores que lançam olhares contemporâneos sobre a juventude e o seu tempo”, diz a justificativa do Canal Curta!.

A oitava edição do festival Janela Internacional de Cinema do Recife foi organizada pela CinemaScópio Produções Cinematográficas e Artísticas, com patrocínio da Petrobras e incentivo do Funcultura / Fundarpe, Secretaria de Cultura do Governo de Pernambuco e com apoio institucional do British Council/Transform, Consulado da França, Cinemateca Francesa de Paris, Institut Français, Instituto Camões/Embaixada de Portugal, Prefeitura do Recife, Portomídia, Canal Curta!, Mistika Finalizadora e Kodak, além da parceria com a Federação Pernambucana de Cineclubes (Fepec), Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas de Pernambuco (ABD/PE), Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco (ABC/PE) e Cachaça Cinema Clube.

Lista completa dos premiados do VIII Janela Internacional de Cinema do Recife

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Longa: “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos
Prêmio Especial: “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Melhor Montagem: “Dead Slow Ahead”, de Mauro Herce
Melhor Imagem: cena final da caixa de “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Melhor Som: “Mate-me, Por Favor”, de Anita Rocha da Silveira
Menção Especial para melhor ator: Alyne Santana, de “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro; Ariclenes Barroso e Júlia Bernat, de “Aspirantes”, de Ives Rosenfeld; e, Valentina Herszage, de “Mate-me, por favor”, de Anita Rocha da Silveira.

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL:

Melhor curta internacional: “Caravan” (Austrália), de Keiran Watson-Bonnice
Melhor Imagem: “La impresión de una Guerra” (Colômbia), de Camilo Restrepo
Melhor Som: “The Old Jewish Cemetary” (Letônia, Holanda), de Sergei Loznitsa
Melhor Montagem: “I’m in Pittsburg and it’s raining” (EUA), de Jesse McLean
Menção especial para melhor ator: Lamine Diaby, por “La fin du dragon” (França), de Marina Diaby

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM NACIONAL:

Melhor curta nacional: “Lembranças de Mayo”, de Flávio C. von Sperling
Melhor imagem: “Submarino”, de Rafael Aidar
Melhor montagem: “Outubro Acabou”, de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman
Melhor Som: “Quintal”, de André Novais Oliveira
Menção Honrosa/Especial do Júri: “E”, de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes

PRÊMIO JANELA CRÍTICA:

Melhor curta nacional: “De terça pra Quarta”, de Victor Costa Lopes
Melhor curta internacional: “Coro dos Amantes”, de Tiago Guedes
Melhor Longa: “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Menção Honrosa: “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos

PRÊMIO ABC (Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco- ABC/PE):
Melhor Longa: “Mate-me por favor”, de Anita Rocha da Silveira
Melhor Curta: “De Terça pra Quarta”, de Victor Costa Lopes; e “A Outra Margem”, de Nathalia Tereza

PRÊMIO ABD (Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas de Pernambuco – ABD/PE):
Curta “Quintal”, de André Novais Oliveira

PRÊMIO FEPEC (Federação Pernambucana de Cineclubes)
Curta “História de Ibraim”, de Otavio Cury

PRÊMIO DE AQUISIÇÃO DO CANAL CURTA!
Curtas “A festa e os cães”, de Leonardo Mouramateus, e “A outra margem”, de Nathalia Tereza

PRÊMIO JOÃO SAMPAIO PARA FILMES FINÍSSIMOS QUE CELEBRAM A VIDA
“Visita ou Memórias e Confissões”, de Manoel de Oliveira (in memoriam)

Via Janela Internacional de Cinema do Recife

Comentrários

comentários

Pin It on Pinterest

Share This